Monografias de Conclusão de Curso

Terence Burchert Miranda. Mobilidade e trabalho: trajetórias de famílias negras de Biguaçu na primeira metade do século XX. 2013. (baixar)

Simone Lima Nicolau. Propostas de abolição gradual: a discussão sobre a separação de famílias escravas no Brasil (1860-1869). 2013.

Jefté Brandão Januário. A Questão Christie sob o olhar da imprensa catarinense no ano de 1863. 2013.

Pedro Mulbersted Pereira. Fortificações mutiladas em último estado de ruína: as fortificações catarinsenses na primeira metade do século XIX. 2013.

Maysa Espíndola Souza. Africanos Livres em Desterro: Tutela, Trabalho e Liberdade. 2012. (baixar)

Miriam Karla Machado. Morrer em Desterro: A Criação do Cemitério Público (1841). 2012. (baixar)

Ariana Moreira Espíndola. Domingos e Domingas: escravidão e liberdade na Freguesia de N. S. da Lapa do Ribeirão da Ilha (1830-1880). 2012. (baixar)

Deisy Silvino. Agora e na hora de nossa morte: Ritos fúnebres na Freguesia de Nossa Senhora do Rosário da Enseada de Brito. 2012. (baixar)

Gustavo Zanin. Prisão, recrutamento e trabalho: a vida de Lourenço em Laguna no pós-abolição. 2012. (baixar)

Cláudio R. A. Scherer Jr.. Crime, prova e justiça: O processo do homicídio da escrava Christina em Paranaguá (1875). 2012. (baixar)

Mariana Ouriques. O Teatro da Liberdade: As diferentes vozes da imprensa de Desterro na campanha abolicionista (1885). 2011. (baixar)

Felipe Neis Araújo. Tolerância, vigilância e repressão: práticas socioculturais africanas e crioulas em Desterro e litoral adjacente, c. 1845-c. 1890. 2011. (baixar)

Elisabete Werner Scharf. Sem briga não há eleição: Representações eleitorais a partir dos pareceres do Conselho de Estado em 1853. 2010. (baixar)

Diego Nones Bissigo. O Censo e as Nações: os africanos nos levantamentos populacionais no Brasil do século XIX. 2010. (baixar)

Gabriela Reis Veloso. O abolicionismo entre 1860 e 1871 nos cadernos sobre escravidão da Coleção Tavares Bastos. 2010. (baixar)

Onete da Silva Podeleski. Terras e Colonização em Discussão no Parlamento Imperial: O Debate da Lei de Terras em 1843. 2010. (baixar)

Fernando Bartholomay Filho. A memória da abolição: as comemorações do cinquentenário na imprensa catarinense e nos Institutos Históricos e Geográficos do Brasil e de Santa Catarina. 2010. (baixar)

Felipe Henrique Wegner. Santa Catarina vai à Guerra: a mobilização militar catarinense durante a Guerra do Paraguai. 2010. (baixar)

Ana Carolina Krieger. A formulação da lei do Ventre Livre no Conselho de Estado pleno e a discussão sobre propriedade privada e direito à indenização (1866-1868). 2009. (baixar)

Jaime José dos Santos Silva. Sons que ecoavam no passado: as festas africanas em Desterro na primeira metade do século XIX. 2009. (baixar)

Pedro Germano Cervi. Alforria e momentos de instabilidade da autoridade senhorial na Ilha de Santa Catarina, 1829-1871. 2009. (baixar)

Raquel Petri. Compra e venda de “mercadorias humanas”: O comércio de escravos do Rio de Janeiro no século XIX1. 2009. (baixar)

Vitor Hugo Bastos Cardoso. A formação social da primeira elite senhorial e política da Ilha de Santa Catarina, 1700-1730. 2009. (baixar)

Tatiane Modesti. Legislação Criminal e Escravidão no Brasil Imperial: O caso do assassinato da escrava Christina em Paranaguá (1875-1886). 2008. (baixar)

Camila de Oliveira Athayde. Quem matou Christina? Crime, gênero e escravidão em Paranaguá, 1876-1886. 2008. (baixar)

Elisa Freitas Schemes. Mestiçagem e hierarquias sociais na colônia: o Grão-Pará na segunda metade do século XVIII. 2008. (baixar)

Ana Paula Pruner de Siqueira. Terras de pecuária e trabalho escravo: a população escrava nos campos de Palmas, PR, na segunda metade do século XIX. 2007.

Jean Carlos Antônio. Fortuna e Escravidão na Freguesia de Nossa Senhora da Lapa do Ribeirão através da análise do inventário de João Antônio da Silva (1878). 2006. (baixar)

Francisco de Assis dos Santos Filho. O chamado da pátria: o recrutamento militar na Freguesia de Nossa Senhora da Lapa do Ribeirão da Ilha, 1875-1878. 2006. (baixar)

Maria Helena Schweitzer. Santa Catarina na Rota do Tráfico: Portos Catarinenses e o Tráfico Atlântico Ilegal de Escravos, 1831-1855. 2006. (baixar)

Fernanda Zimmermann. O funcionamento da Armação baleeira da Lagoinha: hierarquia do trabalho e controle dos escravos na caça à baleia (Ilha de Santa Catarina, 1772-1825). 2006. (baixar)

Carlos Eduardo Nascimento. A participação da maçonaria no movimento abolicionista em Desterro, SC (1870-1888). 2004.

Gustavo Marangoni Costa. Apoio e resistência: participação popular na República Juliana (Laguna, SC, 1839). 2004.

Martha Rebelatto. Nem todos gostavam da escravidão’: fugas de escravos em Desterro na década de 1850. 2004.

Fábio Israel Vieira de Campos. A mão-de-obra utilizada para a caça da baleia no litoral catarinense – Armação Grande ou de Nossa Senhora da Piedade, 1746-1836. 2002.

Karla Andreza Vieira. Interpretando os Silêncios: uma história das relações de trabalho em Desterro/ Florianópolis, 1885-1895. 2000.